Imagem e semelhança. Será?

2

Durante os últimos meses a sociedade brasileira viveu uma espécie de guerra civil opinativa, nas redes e fora dela. Em todos os lugares se via pessoas, cristãs ou não, opinando, defendendo seu ponto de vista, levantando argumentos, justificando a escolha por votar em sicrano ou beltrano, chegando ao ponto de brigar, ofender, e falar além da conta. Enfim, durante todo esse período, me perguntei várias vezes sobre como Jesus agiria se estivesse aqui, será que ele teria falado tudo o que nós falamos? Será que ele teria usado esse ou aquele argumento? Feito aquela publicação no Facebook? Teria discutido com os 12 suas escolhas políticas? Bom, as eleições já passaram e o fuzuê diminuiu bastante, mas a pergunta continua na minha mente: “o que Jesus faria se determinada situação estivesse acontecendo com Ele e não comigo?”. Considero a pergunta um tanto quanto clichê, já foi assunto de várias pregações, livros, estudos, e esboços.

A Bíblia em Colossenses 1:15 refere-se a Jesus como o primogênito, o primeiro filho. Ele veio para ser nosso Salvador, Senhor, mas também veio pra nos servir de referencial. Jesus é nosso modelo como filho de Deus, servo, cidadão, homem, irmão, amigo… Ele é nosso alvo de comparação! Estamos nos parecendo com Ele? A razão da mediocridade e superficialidade de alguns “cristãos” é que eles não vivem a plenitude que existe em estar dentro da fôrma de Cristo, se nivelam por baixo (“não bebo como fulano bebe, não fumo como fulano fuma, não frequento certos lugares, não me prostituo então tá tudo bem, vivo uma vida profundamente espiritual”) enquanto deveriam olhar pra Jesus e querer viver como Ele viveu.

Nós somos aquilo que o diabo queria ser, imagem e semelhança de Deus. E hoje, todo o esforço dele está em deturpar a imagem e frustrar toda semelhança que o Homem tem com o Pai. Lúcifer é o maior de todos os invejosos. Em contrapartida, temos o Espírito Santo (<3), que imprime em nós a identidade de Jesus, nos dá o caráter de Cristo, nos deixa mais parecidos com Ele. Temos dentro de nós a mesma essência que Jesus teve quando andou na terra. Que privilégio!
Então não se engane, não somos mais espirituais quando temos uma postura melhor do que a de alguém não conhece o Senhor de verdade,  somos melhores quando nos esforçamos em parecer com Jesus, e isso exige uma busca diária, a cada dia somos marcados com as digitais de Jesus, ser imagem e semelhança é ser como Jesus seria, agir como Jesus agiria, amar como o mesmo amor, perdoar com o mesmo perdão que nos alcança todas as manhãs. Tudo pra glória de Deus. AMÉM.

                                                                                                         Rayane France

2 Comentários

  1. Interessante observar o ciclo vicioso em que nossa sociedade muitas vezes e padronizada ! Jovens, adultos, cristãos e não cristãos, cada um com sua razão, motivo e idealização do mundo perfeito… Questionamentos, indagações, réplicas, contendas, e quantas contendas !! Muitas vezes tirando até o foco do motivo real de defesa de idéias. Lutamos porque cremos ou lutamos porque precisamos crer ? Precisamos trazer a existência o sentimento de leveza que amacia o ego e nos faz acreditar que estamos sim fazendo algo pela palavra e família cristã. Olhar pelo parâmetro de como Jesus reagiria a essa situação, não e fácil pois nos confronta! Entendo que quando questionamos problemas governamentais ou até alguns próprios problemas pessoais, estamos afirmando que o controle não está nas mãos do Criador.
    A bíblia nos relata em Romanas 12:2 "não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que proveis a boa, agradável e perfeita vontade de Deus." Ele, o Pai, Criador do Universo, não nos mandou publicar no facebook nossas indagações, mas mandou que transformássemos nosso pensar, agir, para exercitar nossa capacidade de crer que o nosso Pai, nossa Aba Pai, jamais nos desamparará, e estará sobre o controle de todas as coisas.
    Jessycah Macedo Searlini

Deixe uma resposta