Seja um com os cristãos perseguidos da Síria na Páscoa

Ainda mais vulneráveis durante a Páscoa, os cristãos perseguidos da Síria apelam à igreja livre para que seja uma com eles

“Fiquem aqui e vigiem comigo” – essas foram as palavras de Jesus no Getsêmani, quando se retirou para orar e se preparar para cumprir a missão para a qual fora enviado ao mundo. A Páscoa, que é um grande motivo de celebração para os cristãos de todo o mundo, para os cristãos perseguidos desperta um misto de emoções. A alegria incomparável pelo grande amor de Deus demonstrado na cruz se mistura com o medo e preocupação.

Os cristãos perseguidos vivem sob pressão em países fechados ao evangelho, onde é muito difícil seguir a Cristo. Na época da Páscoa, é comum que sejam confrontados com violência e suas consequências.

Na realidade da Síria, por exemplo, soma-se à pressão o fato de o país estar em guerra. Um líder cristão expressou o misto de esperança e ceticismo experimentados na Páscoa do ano passado: “Nós passamos por morte e destruição, mas ao mesmo tempo temos vivido grandes testemunhos de amor e solidariedade. A guerra continua e novas vítimas morrem todo dia, um número exagerado de mortes. Pessoas continuam fugindo do país. Confrontados com todo esse sofrimento, não podemos ficar surdos ou impassíveis. Mesmo após tantos anos, não podemos nos resignar à lógica da violência e da guerra”.

Alepo, segunda maior cidade da Síria, é uma das cidades com uma grande concentração de cristãos. Desde a invasão do Estado Islâmico, a Alepo ficou dividida entre as linhas de frente que separavam os grupos rebeldes e as forças do governo. Isso só mudou em dezembro de 2016, quando o regime de Bashar al-Assad finalmente tomou o controle da cidade. Gradualmente, os moradores de Alepo começaram a voltar e, em 2017, cerca de 800 cristãos comemoraram a primeira Páscoa de volta à sua cidade natal.

No último domingo, 14, houve um bombardeio com foguetes contra Alepo, causando a morte de onze pessoas, segundo a agência de notícias oficial, Sana. Alepo fica perto do reduto jihadista de Idlib, província dominada pelo grupo Hayat Tahrir al-Sham (HTS, antigo braço da Al-Qaeda). Desde que o regime a recuperou, em 2016, Alepo é alvo de ataques esporádicos de jihadistas ou rebeldes. O apelo dos nossos irmãos perseguidos da Síria é o mesmo de Jesus, para que durante a Páscoa fiquemos com eles em oração. Peça ao Pai que eles sejam guardados e possam desfrutar de um tempo de alegres celebrações.

Seja um com eles nesta Páscoa
Além de orar pela proteção do Senhor sobre nossos irmãos da Síria, nesta Páscoa você pode ir além. Desafiamos você a doar um dia de trabalho para que eles sejam assistidos em suas necessidades. Que através de você os cristãos perseguidos da Síria se sintam abraçados e fortalecidos. Os que doarem neste mês de abril receberão uma pulseira da Portas Abertas.

Para saber mais sobre a Igreja Perseguida na Síria, acesse: https://www.portasabertas.org.br/categoria/lista-mundial/siria

  • Jornalista por formação, serva, filha, uma mulher comprometida com o Reino de Deus e as verdades do céu.

  • Show Comments (0)

Deixe uma resposta

You May Also Like

Cantora do musical “Rua Azusa” lança novo single

“Aviva-me”, de Jéssica Augusto, traz toda a influência do tradicional gospel norte-americano. Quem acompanha ...

Daniela Araújo é a convidada do programa Promessas do portal G1

Após vazamento de áudio em que fala de maconha, Daniela Araújo volta à carreira ...

Vanilda Bordieri interpreta canção autoral inédita em live session

Compositora de sucessos do segmento pentecostal apresenta novo projeto com o selo Musile Records ...